Turismo rural: o guia completo sobre o tema!

turismo rural
18 minutos para ler

De maneira geral, o turismo é prática comum por parte de quem busca momentos de lazer, para descansar, unir a família, conhecer lugares únicos e viver bons momentos. Essa é uma maneira de nos desligarmos um pouquinho da rotina corrida e nos aventurar em experiências que deixam ótimas lembranças.

Em meio a isso, o turismo rural tem se mostrado cada vez mais uma tendência. A fuga dos grandes centros urbanos coincide e muito com essa prática, que permite, além do descanso e do lazer, nos conectarmos mais com a natureza.

Essa é uma modalidade em expansão no Brasil, incentivada, inclusive, pelo Ministério do Turismo. Neste post, você vai entender tudo sobre turismo rural: o conceito, como funciona, como fazê-lo, destinos nacionais para turismo rural, entre outras informações. Continue a leitura e entenda por que muitas pessoas já estão aderindo a essa prática!

O que é o turismo rural e por que fazê-lo?

Atividades como agricultura, pecuária, extração e exploração vegetal e animal, apicultura, entre outras, são bastante conhecidas por serem realizadas no ambiente rural. Elas são importantes motores da economia não apenas nacional, mas também mundial, abastecendo comércios, supermercados e a mesa das famílias.

No entanto, o que algumas pessoas ainda não sabem é que longe dos grandes centros urbanos também é possível praticar turismo e se encantar com as maravilhas das áreas rurais.

O turismo rural surgiu na década de 1950, na Europa, sob o objetivo de valorizar o estilo de vida no campo. No Brasil, as primeiras práticas aconteceram na década de 1980, no Sul, e se espalhou para o restante do país, atingindo regiões como Norte e Nordeste.

Conceitualmente, o turismo rural é um conjunto de atividades de cunho turístico, semelhante ao tradicional, mas realizado em ambientes rurais, envolvidos em atividades como a agropecuária. Ele permite agregar valor a produtos e serviços próprios desses lugares, resgatar e promover patrimônios culturais, naturais e sociais.

Para além do vasto conhecimento ao qual o turismo rural permite o visitante ter acesso, ele abre portas também para a diversificação de atuação do produtor rural. Sendo assim, incentiva o início de uma nova atividade e estimula o desenvolvimento social e econômico nos lugares onde é praticado.

De acordo com o Ministério do Turismo, o Turismo no Espaço Rural é definido como:

“Todas as atividades praticadas no meio não urbano, que consiste em atividades de lazer no meio rural em várias modalidades definidas com base na oferta: Turismo Rural, Turismo Ecológico ou Ecoturismo, Turismo de Aventura, Turismo de Negócios e Eventos, Turismo de Saúde, Turismo Cultural, Turismo Esportivo, atividades estas que se complementam ou não”.

Vantagens de fazer turismo rural

A crescente busca pelo turismo rural não se dá à toa. Suas vantagens são o principal motivador. Veja algumas delas abaixo.

Diversidade

Em termos de Brasil, sabemos que nosso país tem imensa variedade de biomas e relevos, além de particularidades geográficas e históricas. Assim, em cada canto é possível se encantar com as características próprias naturais e sociais, além de descobrir formas de vida que parecem distantes daquelas próprias de metrópoles.

Sustentabilidade

O turismo rural é uma maneira de incentivar um turismo sustentável, já que o contato com o ambiente natural possibilita uma nova visão de mundo e a conscientização sobre a importância da preservação daqueles espaços. Dessa forma, a modalidade possibilita unir lazer a questões importantes da vida em sociedade.

Tranquilidade

Pode-se citar ainda a possibilidade de descanso, relaxamento e manutenção da saúde mental — vantagens já característicos do turismo, mas incrementadas quando realizadas em lugares tão tranquilos e aconchegantes como o interior. Essa é uma oportunidade de fugir do estresse dos grandes centros urbanos e se conectar com a natureza.

União

Por falar em fugir do estresse e da correria, fazer turismo rural também é uma forma de unir e viajar com a família. No dia a dia, é comum que cada um esteja envolvido em suas tarefas individualmente e, ao fazer uma viagem como essa, é possível que todos se reconectem entre si e compartilhem ótimas experiências juntos.

Quais são os dados relativos ao turismo rural?

Segundo a Organização Mundial do Turismo (OMT), pelo menos 3% das pessoas em todo o mundo direcionam suas viagens para o turismo rural. O crescimento dessa modalidade é de 6% ao ano, tornando essa uma tendência mundial.

No Brasil, o caminho é semelhante. No fim de 2019, o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA), em conjunto com a Organização Mundial do Turismo, assinou um acordo para o fortalecimento da assistência técnica no agroturismo das Américas.

Como principal fator motivador, tem-se o valor histórico que a agricultura e o turismo, juntos, carregam. Somando tais forças, é possível atender a demanda crescente já citada. Além de ser uma maneira de experienciar situações totalmente diferentes daquelas que vivenciamos no nosso dia a dia, essa é uma forma de incentivar o desenvolvimento das economias rurais locais.

Como fazer turismo rural?

Dada a tendência dessa modalidade de turismo, há vários locais já preparados e com infraestrutura ideal para atender aos turistas. Assim como no tradicional, no rural é possível ter experiências diversas, conforme mostraremos a seguir.

Hospedagem

O turismo rural tem como base hotéis fazenda. Porém, cada vez mais têm surgido ofertas de estadias em fazendas próprias de agricultores locais ou até mesmo a aquisição de multipropriedades — as chamadas casas de campo em complexos de entretenimento.

Como mencionamos, é seguido um modelo de hospedagem e há possibilidade de conhecer de perto a rotina da vida no campo.

Atividades

O turismo se baseia bastante na vivência de situações com as quais não temos muito contato em nosso dia a dia, certo? Pois, quando realizado no campo, as opções são inúmeras! Nesses lugares, é possível acompanhar de perto o manejo da agricultura e dos animais.

Tudo isso sem contar as atividades equestres e de pesca, além do ecoturismo, com arvorismo, tirolesa e rafting, que deixam o passeio ainda mais divertido e aventureiro. Assim, como podemos perceber, essa é uma experiência indicada para todas as idades e capaz de proporcionar conhecimentos diversos!

Gastronomia

No ambiente rural, tudo tende a ser mais orgânico, natural e artesanal. Assim, experimentar a gastronomia local é uma experiência à parte, além de uma oportunidade de ter contato com a cultura rural por meio de seus pratos típicos. Pode-se consumir ainda alimentos orgânicos cultivados de forma autônoma e que podem fazer parte das refeições de quem se aventura no turismo rural.

É uma ótima forma também de conferir de perto a própria maneira como os pratos são preparados. Uma comida feita no fogão à lenha, por exemplo, tem um teor mais tradicional e um sabor incomparável. Essa possibilidade se estende ainda aos doces caseiros, que na maioria das vezes são feitos com produtos plantados e colhidos ali mesmo.

Visitas a produções diversas

Pode-se citar ainda como possibilidade no turismo rural a visita e o acompanhamento da produção de vários tipos. Armazéns e locais de fabricação de pães, queijos e vinhos são alguns dos lugares passíveis de visitas.

Há ainda os artesanatos diversos que muitas vezes atravessam gerações e se mantêm como principal fonte de renda das famílias do campo.

Cultura

Para além das fazendas que aceitam hóspedes, há aquelas que permitem a visita de turistas para o acompanhamento de atividades comuns como pecuária e avicultura, aproximando turistas ao estilo de vida rural.

Dependendo da época e das tradições do destino rural, o turista também tem a possibilidade de participar e assistir a algumas festividades, manifestações folclóricas e tradições religiosas.

História

Quando falamos de atividades econômicas históricas no Brasil, logo pensamos em café e açúcar, certo? Esses produtos são, em grande parte, responsáveis pelo desenvolvimento de algumas áreas rurais e, como não poderia deixar de ser, auxiliaram na construção da história de diversos locais.

Sendo assim, tal como no turismo tradicional, as pequenas cidades tem extenso histórico para contar aos turistas, sendo uma fonte repleta de conhecimento. Por esse motivo, podem contar com casas de cultura e de conservação de patrimônio local que reúnem grande parte da história daqueles lugares.

Quais são os principais destinos nacionais para isso?

Os destinos para turismo rural estão espalhados por vários estados do Brasil, tornando essa uma possibilidade de viagem bastante acessível independentemente do seu local de origem. Confira alguns estados e seus destinos a seguir.

Rio Grande do Sul

Localizada na Serra Gaúcha, a cidade de Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul, é conhecida como a capital brasileira da uva e do vinho. Por lá, são produzidos 85% dos rótulos de vinhos mais conhecidos do Brasil. Por isso, além de turismo rural, a cidade é famosa pelo enoturismo, ou seja, voltado para a apreciação do vinho.

Por esse motivo, Bento Gonçalves recebe turistas interessados no produto e em conhecer mais sobre a sua produção. A cidade também é sede da Avaliação Nacional de Vinhos e do Concurso Internacional de Vinho.

No quesito belezas naturais, a cidade gaúcha conta ainda com várias atrações. Entre elas, estão rios, cachoeiras, cavernas, vales e cânions.

Santa Catarina

A cidade de Lages, em Santa Catarina, foi uma das primeiras a incentivar e a realizar o turismo rural. A prática na por lá acontece desde 1986, quando os fazendeiros começaram a permitir a visitação em suas fazendas.

Por ano, cerca de 50 mil pessoas visitam Lages para agroturismo, conhecer o dia a dia nessas fazendas e também descansar. Além das fazendas, na cidade é possível encontrar pousadas e hotéis fazenda, ótima gastronomia, passeios a cavalo, pesca, trilhas. O ecoturismo também é forte no local, contando com rafting, canyoning, trekking e rapel.

São Paulo

O estado de São Paulo tem opções que fogem à grande metrópole e que atendem bem quem procura pelo turismo rural. E não é preciso ir muito longe da capital paulistana para realizá-lo, não. A apenas 35 quilômetros está a cidade de Parelheiros.

Com apenas 200 mil moradores, o distrito tem recebido cada vez mais incentivos de ecoturismo, vindos inclusive da Prefeitura da grande capital. O objetivo é desenvolver a região mostrando que é possível fugir da correria e do estresse da metrópole e descansar ali mesmo, por perto.

Por lá, é possível encontrar cachoeiras, trilhas, sítios, hortas orgânicas, iniciativas de agroecologia, hoteis e também projetos sociais.

Rio de Janeiro

O estado do Rio de Janeiro é conhecido principalmente pelas belezas de sua capital. No entanto, para além de paisagens urbanas cariocas, o estado tem também várias possibilidades de destino de turismo rural.

A cidade de Vassouras é uma delas. Ela se encontra na Região do Vale do Café e é onde, no século XIX, viviam os barões do café. Por esse motivo, a cidade é repleta de história, que está inscrita na arquitetura de suas construções, onde no entorno é possível encontrar, inclusive, um museu que mostra como era o estilo de vida das famílias cafeeiras.

Na área rural, é possível encontrar fazendas abertas para visitantes. Uma das mais famosas é a Cachoeira Grande, construída em 1820 e que guarda em seu interior alguns objetos antigos e algumas relíquias.

Espírito Santo

Venda Nova do Imigrante, no Espírito Santo, é outro destino para quem quer fazer turismo rural. Sua história também é marcada e coincide com a do ciclo do café no Brasil, sendo referência na produção até hoje. Cerca de 90% das suas áreas rurais são voltadas para cafeicultura.

O agroturismo também é bastante presente, abrangendo 70 propriedades e cerca de 300 famílias. Hospedar-se na cidade é ter a chance de acompanhar de perto a rotina dessa produção e ainda conhecer cachoeiras belíssimas. Para quem curte história, casas coloniais do século XIX também são encontradas em Venda Nova do Imigrante.

Paraíba

Na Paraíba, o turismo rural pode ser realizado principalmente na cidade de Cabaceiras. A apenas 180 quilômetros de João Pessoa, a pequena cidade tem cinco mil habitantes e é famosa principalmente por seu cenário digno de filmes.

E não é à toa que já foram gravados mais de 25 deles na região, que é considerada a “roliúde brasileira”. A principal atividade econômica no local é o artesanato feito com couro de bode. Esse também é o animal que dá o tema da festividade típica da região: a festa do Bode Rei, comemorada no mês de junho.

No local, ainda é possível encontrar construções antigas e simpáticas casinhas coloridas. Há também uma região com registros rupestres e sítios arqueológicos, que tornam a cidade um pólo histórico.

Pernambuco

Diferentemente do calor bastante típico de pontos turísticos na Região Nordeste do Brasil, a cidade de Gravatá é conhecida como Suíça Pernambucana e é um dos principais destinos de turismo rural da região. Ela se situa no Planalto da Borborema, o que permite que o clima local se mantenha ameno durante todo o ano.

Em meio a belas e verdes paisagens, a cidade conta com boas opções de hospedagem em chácaras e hotéis bem característicos. Além disso, a gastronomia local é uma atração à parte, sendo possível se deliciar com bode assado, queijo coalho e queijo-manteiga, típicos da região.

Gravatá também tem inscrição na história brasileira, por ter sido local onde viajantes vendedores de açúcar e carne bovina se hospedavam desde 1808. Há, inclusive, construções históricas do ano de 1822 que podem ser visitadas, como a Capela Sant’Ana.

Sergipe

O turismo rural no estado de Sergipe está presente no sertão sergipano, que apresenta como atrações naturais o Cânion do Xingó e o lago de mesmo nome, sendo este formado pelas águas da usina hidrelétrica do Xingó.

As cidades mais conhecidas compõem o Caminhos do Cangaço. São elas: Canindé do São Francisco, Monte Alegre de Sergipe e Poço Redondo. Essa é uma rota em que é possível conhecer um pouco dos lugares onde Lampião se mantinha escondido pelo sertão.

A gastronomia também é um fator de atração para o turismo rural em Sergipe, tendo como base produtos caprinos e peixes do Rio São Francisco. Além disso, há a venda de produtos apícolas, como o mel característico da caatinga.

Porém, não é preciso ir muito longe da capital sergipana para desfrutar da tranquilidade do ambiente rural, você sabia? Continue a leitura e entenda como.

Que tal conhecer a Reserva Boa Luz?

Como pudemos ver, a área rural é um ótimo refúgio para fugir do estresse, ter tranquilidade, ficar mais próximo da natureza, viajar com a família e fazer ecoturismo. Porém, nem sempre estamos dispostos a ir muito longe em busca desses prazeres, certo?

Então, para quem vive em Aracaju, a Reserva Boa Luz pode ser a saída perfeita. Sob responsabilidade da Construtora Santa Maria, somos um dos maiores complexos de entretenimento das regiões Norte e Nordeste, localizado a apenas 15 minutos da capital sergipana, com fácil acesso pela rodovia federal BR-235.

Na Reserva, você poderá experienciar uma vida no campo e contar com a infraestrutura para livrá-lo de qualquer preocupação. Por aqui, você encontra fazendinha, haras, lagos artificiais, poneilândia, ecoterapia, hípica e, ainda, o mais completo parque aquático de Sergipe.

Como se não bastassem tantos recursos, temos muitos outros em construção. São novos restaurantes, salão de jogos, parque infantil e estrutura para arvorismo, sala de eventos, hotel boutique e quadra de tênis. É ou não é o lugar ideal para passar ótimos momentos em família?

Porém, se você não se contenta em ter apenas alguns momentos, poderá ter vários, caso opte por adquirir cotas imobiliárias em multipropriedades. Quer conhecer essa oportunidade mais a fundo? Nós explicamos!

O que é multipropriedade

A multipropriedade consiste em uma relação jurídica que estabelece as diretrizes de uso de um bem móvel ou imóvel. Trata-se assim de uma espécie de repartição fixa de tempo em que cada contratante pode usufruir daquele bem.

Esse é um conceito bastante usado para áreas de lazer em que é possível adquirir cotas de um imóvel e fazer uso dele em frações de tempo que devem durar, no mínimo, sete dias cada uma.

Para ficar mais claro, vamos a um exemplo. João é administrador de empresas e, durante as férias, gosta muito de viajar com a família. Tem o desejo que ter uma casa de campo, mas não considera a ideia muito viável, pois o uso do imóvel é feito apenas de tempos em tempos.

Sendo assim, tem-se um período em que a casa fica vazia e sem os cuidados necessários. Quando é possível viajar para descansar nela, há a possibilidade de serem necessários vários ajustes e manutenção, como limpeza, troca de lâmpadas que não funcionam mais, entre outros fatores que acabam gerando certa dor de cabeça.

É nesse sentido que a multipropriedade se mostra a melhor solução para o João. Com ela, o imóvel tem seu uso repartido em frações de tempo para que outras pessoas tenham acesso ao imóvel em diferentes momentos. Além disso, há o gerenciamento e manutenção feitos pela própria administradora, como a Reserva Boa Luz.

Quais os benefícios dessa escolha

A multipropriedade tem diversos benefícios, conforme mencionamos a seguir.

Custo-benefício

O primeiro benefício da multipropriedade é a relação custo-benefício, considerando o fato de que, como citamos, o uso de um imóvel de campo comumente é esporádico. Quando o investimento é feito em cotas imobiliárias, tem-se melhor proveito, evitando a ociosidade do local.

Ainda, as despesas comuns de um imóvel são rateadas por todos os proprietários, o que torna a aquisição ainda mais vantajosa. São elas: luz, água, internet, condomínio e limpeza.

Possibilidade de rendimentos

Nos casos em que, por algum motivo, as cotas não sejam utilizadas pelo contratante, ele tem a possibilidade de alugar seu espaço de tempo, gerando renda e otimizando o custo-benefício já citado. Caso prefira, também pode emprestá-lo a algum parente ou amigo, conforme sua vontade.

Menos preocupações

Quando as férias se aproximam, é preciso sair em busca de possíveis destinos, roteiros de viagem e lugares para hospedagem, certo? No caso da multipropriedade, o destino é certo e o custo já está dentro do orçamento comum da família, gerando menos preocupações.

Também, como mencionamos, deve existir uma administração profissional do condomínio de multipropriedade. Dessa maneira, toda a manutenção e controle do imóvel são delegados a uma empresa especializada, gerando menos estresse e burocracia para você.

Como vimos, o turismo rural é uma tendência e não é para menos: além de possibilitar o descanso, a tranquilidade e a união em família tão desejados em férias e feriados, promove uma aproximação com a natureza.

Realizá-lo também é uma forma de conferir de perto processos de produção com os quais dificilmente já tivemos acesso, compreendendo a cadeia de abastecimento do mercado agrícola. Isso sem contar os ganhos quando conhecemos de perto a cultura e a história de comunidades rurais por meio do artesanato e do modo de vida que têm.

Por fim, se o turismo rural parece uma ótima ideia para você também, não deixe de considerar a possibilidade de adquirir uma cota imobiliária e se tornar adepto dessa prática! Entre em contato conosco para conhecer as facilidades e oportunidades da Reserva Boa Luz.

Você também pode gostar

Deixe um comentário