Esclareça suas dúvidas a respeito da economia compartilhada!

economia compartilhada
7 minutos para ler

O mundo passa por intensas modificações, inclusive no atual período de pandemia global. São questões que envolvem o meio-ambiente, a economia e a forma como consumimos, por exemplo. As redes sociais, a música disponível online e os streamings conquistam mais e mais espaço. Enquanto isso, um novo cenário se expande: o da economia compartilhada.

Já reparou como o pessoal tem usado amplamente aplicativos de transporte, ao invés de seu próprio carro? Esse é um dos melhores exemplos de economia compartilhada que podemos dar. Com todas as conectividades e compartilhamentos que vivemos hoje, novas soluções surgem em vários aspectos de nossas vidas. Confira mais a respeito!

Entenda do que se trata a economia compartilhada

Essas são redes colaborativas, então é fundamental que os usuários e gestores confiem uns nos outros. Quem participa, em qualquer dimensão, de um sistema do tipo, colaboram grandemente com a comunidade que atendem. Também essencial é prezar pela ética e qualidade dos serviços, como quando você avalia uma corrida, entrega de alimentos ou estadias.

A economia compartilhada trabalha com soluções bem mais inteligentes do que estamos acostumados. Digamos que você está investindo em um imóvel e quer gerar renda por meio dele. Por que não integrar-se a uma rede de hotéis que lhe agrada, firmando parcerias? Você obterá lucro através do uso bem eficiente e prático desse patrimônio familiar de alto valor.

Esse imóvel no qual você vem investindo também pode ser totalmente dedicado ao formato de estadia dos hostels. Eles conseguem comportar um grande número de pessoas simultaneamente. Além de oferecerem segurança, serviços de qualidade e interações entre os hospedados, o que não tem preço e é muito gratificante.

Devemos lembrar que o bom uso da tecnologia é essencial para que exista esse tipo de sistema. Afinal, a interatividade entre empresa, site, aplicativo, público ou fornecedores precisa estar garantida. Só assim poderemos nos comunicar com a empresa ou com outros usuários e utilizar os serviços prestados. A economia compartilhada pode utilizar a tecnologia, a internet e os aplicativos da maneira que o mundo mais precisa atualmente.

Veja os benefícios que podem surgir durante a crise

Em tempos de pandemia e reclusão social, esses modelos de serviços vêm bem a calhar! Você mesmo talvez já esteja utilizando-os, ao pedir comida por aplicativos de delivery e restaurantes. É uma saída bem prática para quando não se pode sair de casa. Fora vários outros serviços e entregas que podem ser solicitados pelo celular, com toda comodidade.

Aproveite, ainda, o período de quarentena obrigatório para planejar seus próximos passos em relação ao novo modelo de negócios. Faça pesquisas e brainstorms para encontrar a atividade que mais lhe será prazerosa, envolvendo a economia compartilhada.

Confira alguns objetivos da aplicação desse conceito

Um dos propósitos desses sistemas é reduzir cada vez mais o custo das operações. Os empreendimentos que obterão mais sucesso são aqueles em que você só paga pelo que realmente utilizou. Os valores dos serviços, assim, tornam-se muito mais acessíveis. O custo-benefício mais justo pode ser posto em prática, dessa forma.

Tomemos o caso dos restaurantes que entregam em casa. Ao invés de deles mesmos terem plataformas para delivery, vale a pena firmarem parcerias, por exemplo, com o Uber Eats. Com tanta conectividade à disposição, os negócios devem focar em relacionamentos consistentes. Você só tem a ganhar com isso, economizando e colaborando com esse sistema.

Utilize a economia compartilhada em seu negócio

O interessante, aqui, é usar recursos que você já possui. Que material, espaços, habilidades e networking você pode aproveitar nesse sentido? Conecte gente que você conhece: clientes, especialistas em certos setores e fornecedores, por exemplo. Assim, você lucra inclusive com comissões referentes a cada etapa do processo.

Muitas empresas desse tipo ajudam umas às outras, sendo essa sua base de negócios. Elas geram conexão entre os indivíduos e suas funções. Isso não só gera lucro como auxilia as comunidades e economia locais. Quer ampliar sua empresa? Basicamente, na economia compartilhada você só precisa da plataforma na internet e ações de marketing certeiras!

O pessoal anda a cada dia menos focado no mero acúmulo de bens. Atualmente, o principal nas compras são as experiências. Você vai viajar? Será que é preciso investir em malas novas? Que tal alugar algumas, ganhando espaço no seu armário? Sem contar que você fará uma avaliação de como foi o serviço, ajudando outros usuários a escolher.

Os colivings são também um bom exemplo dessas tendências. Os proprietários de casas e apartamentos que desejam tirar desses patrimônios algum retorno podem montar não somente hotéis, mas um coliving: um espaço de moradia compartilhada em que existe toda uma colaboração mútua e sustentável, sem que se abra mão da privacidade e do aconchego.

Conheça ou relembre exemplos de muito sucesso

Alguns casos são bem conhecidos, como o do Airbnb. É simples: quem tem quartos vagos em seu imóvel ganha um dinheiro extra, alugando-os durante certo tempo a viajantes. O app conecta pessoas que querem locar um quarto ou imóveis completos com quem busca estadias em conta. E taxas acessíveis são pagas pelo serviço prestado pela Airbnb.

Já o Blablacar faz a “ponte” entre viajantes e motoristas com destinos em comum, podendo economizar dinheiro e combustível. Os caronas racham o combustível e pedágios, se houverem, levando vantagem sobre os custos de viagens de ônibus. A rede existe em aplicativo e no site da empresa.

A Uber é um perfeito exemplo de economia compartilhada. Lidando com mobilidade urbana, a rede envolve passageiros conectados aos motoristas. Imagine essa lógica aplicada ao setor hoteleiro! Você oferece um serviço extremamente procurado, locando seu espaço ou um imóvel que adquiriu em sociedade. Todos saem ganhando, de forma inteligente e que faz todo sentido.

Descubra outras vantagens desse tipo de empresa

Há muitas vantagens envolvidas, mas algumas delas são mais evidentes, na economia compartilhada. Destacamos a presença crescente de modelos de trabalho inovadores, gerando empregos diversos; nos apps de hotelaria e coliving, a sustentabilidade e a colaboração mútua são promovidas; os impactos sobre o meio ambiente também são reduzidos, em geral.

Além disso, consiste em uma excelente saída para lidarmos com momentos críticos, como o atual; a atitude solidária também é estimulada entre todas as partes envolvidas em cada processo; existem ainda incentivos, em que você desfruta de determinado serviço e é recompensado; sem contar o intercâmbio intelectual em espaços como os de coworking.

Podemos perceber que a economia compartilhada veio com tudo ultimamente e deverá se expandir e desenvolver muito mais. De certa forma estamos apenas no começo. A criatividade humana, as demandas e a crescente interação e troca de informação fará surgir novas alternativas do tipo. Se forem bem executadas, todo mundo só tem a ganhar!

E aí, curtiu saber mais sobre esses novos formatos de negócios tão presentes em nossas vidas hoje? Aproveite e deixe seu comentário, contando para gente como percebe a economia compartilhada impactando nossas vidas.

Você também pode gostar

Deixe um comentário